Cupim

cupins-1.jpg

Os cupins são considerados uma das pragas mais destrutivas do mundo.

Danificam muitos edifícios e estruturas todos os anos e provocam enormes perdas financeiras.

Conheça quais as mais comuns no Brasil e os seus ciclos de vida e hábitos.

Cupim de Madeira Seca

cupins-2.jpg

Aspecto
Larvas - 1 mm de comprimento, brancas e translúcidas. Soldados - 5 mm de comprimento, tórax e abdome pálidos e cabeça mais escura. Adultos - até 7 mm de comprimento, 11 mm com as asas.

Ciclo de vida
Os adultos com asas (alados) emergem do ninho em enxame. Após um voo curto, pousam no solo e separam-se das asas. Nesta fase alada são popularmente conhecidos como siriris ou aleluias. Nesta fase alada são popularmente conhecidos como siriris ou aleluias. Logo que os machos são atraídos pelas fêmeas, juntos procuram um local apropriado, como uma cavidade num tronco de madeira seca, e começam a escavar uma galeria. Não acasalam enquanto o seu ninho não estiver selado. O acasalamento decorre durante toda vida da colônia. O desenvolvimento da colônia é lento, dado que o rei e a rainha podem não gerar mais do que 3 ou 4 larvas no primeiro ano. As larvas desenvolvem-se e tornam-se obreiras, soldados ou aladas.

Hábitos
Infestam madeira seca, incluindo madeiras estruturais de edifícios. Expandem as colônias consumindo a madeira em todas as direções, eventualmente criando um só espaço vazio. Por fora, a madeira pode aparentar estar intacta. São frequentemente detectadas pelas bolinhas que ejetam para o exterior por pequenos orifícios nas madeiras atacadas.

(Cryptotermes spp.)

Cupins Subterrâneos

cupins-3.jpg

Aspecto
Entre 5 e 10 mm de comprimento. Corpos largos e brancos, com cabeça castanha.

Ciclo de vida
As rainhas podem depositar vários milhares de ovos num só dia. O rei é apenas ligeiramente maior do que os cupins médios e continua a acasalar com a rainha durante toda a vida. Os machos da colônia morrem imediatamente após o acasalamento, mas os cupins macho alados tornam-se reis e vivem com as rainhas.

Hábitos
Constroem os ninhos no solo e são muito dependentes de solos úmidos. Na busca de alimento, os cupins subterrâneos constroem tubos de terra porque são muito susceptíveis à desidratação quando expostas ao ar. Os cupins subterrâneos costumam fazer os seus percursos acima do solo para alcançarem madeiras ou outras fontes de celulose. Os cupins decompõem a celulose em amido com a ajuda de protozoários que têm no aparelho digestivo.

(Coptotermes spp.Queen)